Prefeito de Três Barras do Paraná barra aumento da tarifa da Sanepar na cidade

Please enter banners and links.

O prefeito de Três Barras do Paraná, Hélio Bruning, assinou decreto proibindo o reajuste de 12% das tarifas da Sanepar autorizado pela Agepar. O documento publicado no dia (02) de maio, afirma que o aumento “extrapola a inflação aferida nos últimos 12 meses” e veda a Sanepar da aplicação do reajuste das tarifas de água e esgoto do município.

De acordo com  o prefeito Hélio Bruning, o a população não aguenta mais tantas contas para pagar. “Nesse momento de crise, em que as pessoas se encontram em dificuldades financeiras, não há como consentir com esse aumento”, cita Bruning.

Outro ponto a ser destacado é sobre o consumo de água, também observado pelo prefeito. De acordo com os moradores, quando há falta d’água, o ar acumulado nos canos faz com que o relógio dispare e, com isso, o consumo acaba sendo maior do que deveria.

O prefeito classificou o reajuste de “absurdo” e justificou em que a prefeitura tem competência legal de barrá-lo por ser tratar de tarifas de uma empresa estatal que presta serviço ao município de Três Barras. “Quem deveria autorizar o reajuste é o município, só será possível realizar um ajuste acima de 4% caso a empresa apresente uma justificativa plausível”, comentou Bruning.

O prefeito Hélio Bruing espera que a medida “sirva de exemplo para outros municípios do Paraná”. Caso isso ocorra, a Sanepar pode ser ver envolvida num grande processo de judicialização tendo que apelar ao poder Judiciário para autorizar os reajustes, elevando ainda mais o desgaste ao governo do estado em relação ao reajuste.

Prefeitura e Câmara estão alinhadas jurídica e politicamente para defender os interesses do município e não lesar os contribuintes tendo em vista que o reajuste de água e esgoto proposto ultrapassa em muito a inflação aferida nos últimos doze meses.

Bruning afirmou que a união dos poderes Legislativo e Executivo é importante para defender os interesses dos tribarrense. “Esse aumento abusivo afeta diretamente os mais humildes e não é compatível com a realidade econômica nem com os serviços que recebemos da Sanepar. Além de não autorizar esse reajuste vamos reivindicar melhorias para nosso município e cobrar da Sanepar um serviço eficiente. Hoje tivemos um grande avanço em benefício da nossa comunidade”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *